"É preciso que todos os homens permaneçam seres humanos durante todo o tempo em que estiverem vivos." Simone de Beauvoir

4 de ago de 2014

A fisioterapia no alívio da dor em idosos



As intervenções em fisioterapia visam alívio da dor, melhora do desempenho físico, prevenção de desconfortos e a minimização das anormalidades primárias e das repercussões físicas geradas pela dor e pelo imobilismo. São vários os recursos fisioterapêuticos, e a aplicação desses recursos em idosos com dores ósseas requer cuidados individuais e um amplo conhecimento das alterações orgânicas que ocorrem nessa etapa da vida.
Algumas perguntas que pesquisadores tentam responder são: 
"Idosos percebem estímulo doloroso como os indivíduos mais jovens?" 
"Idosos que são diagnosticados com algum tipo de demência percebem a dor da mesma maneira daqueles que não têm esse diagnóstico?"
Alguns estudos sugerem que pacientes idosos apresentam um limiar de dor, térmico e mecânico, maior do que pessoas mais jovens. O assunto é controverso, mas em sua maioria os resultados sugerem que a tolerância à dor diminui aos 30 anos.
Em relação à diferença de gêneros, é comum observar que mulheres costumam sentir mais dor e serem mais propensas à depressão do que o homem. E, consequentemente, também existe uma maior propensão ao uso de medicamentos em resposta a esses problemas. Devido às diferenças hormonais, mulheres possuem densidade óssea diminuída e aumento do risco de fratura.
Enfim, o que é um fato é que dor é um frequente problema de saúde em idosos. Sua prevalência vai de 45% a 80% e é associada à depressão, desordens do sono, diminuição da capacidade funcional, diminuição da sociabilidade e aumento do uso do sistema de saúde, com consequente aumento dos custos.
Sendo assim, antes de estabelecer qualquer prescrição, é essencial conhecer os vários fatores de riscos envolvidos, as variações sistêmicas que ocorrem ao passar da idade e as variações entre os próprios indivíduos, pois os possíveis benefícios dos recursos a serem utilizados podem induzir prejuízos ao paciente. Além disso, é necessário entender as estratégias de avaliação da dor e as intervenções usadas para aliviá-las, assim como as vantagens, desvantagens e limitações de cada uma das intervenções.
Algumas intervenções populares da fisioterapia são a estimulação elétrica transcutânea (TENS), massagem, aplicação de calor e frio e cinesioterapia. Um estudo realizado demonstrou que um programa de atividade física foi eficiente em reduzir crenças aversivas em relação a sentir dor durante atividade física e obteve efeitos analgésicos na população idosa com dor crônica lombar (Weiner et al; 2006)*. A dor lombar crônica tem sido o modelo para o estudo da dor em idosos e tem contribuído para compreendê-la melhor nesse grupo etário, abrindo perspectiva sobre a relação entre dor, cognição e atividade física.
Um interessante estudo demonstrou que a performance neuropsicológica muda em idosos que sofrem de dores crônicas na lombar e propôs  que mudanças cognitivas gerais seria o fator que medeia a relação entre dor e função física. Essa é uma hipótese intrigante e se for comprovada futuramente, poderia trazer importantes mudanças na reabilitação desses pacientes.

Leia mais:

Referências:
- Andrade, D.C. et al. The assessment and management of pain in the demented and non-demented elderly patient. Arq. Neuropsiquiatr. 2011.
- Lautenbacher, S. et al. Similarities in age differents in heat pain perception and thermal sensitivity. Funct Neurol. 1991.
- Chakour, M.C. et al. the effect of age on A-delta and C-fibre thermal pain perception. Pain. 1996.
- Lasch, H. et al. Evidence for diminished visceral pain with aging: studies using graded intraesophageal ballon distension. Am J Physiol. 1997.
- Edwards, R.R. et al. Age-related differences in endogenous pain modulation: a comparision of diffuse noxious inhibitory controls in healthy older and younger adults. Pain. 2003.
- *Weiner, D.K. et al. Efficacy of per-cutaneous electrical nerve stimulation and therapeutic exercise for older adults with chronic low back pain: a randomized controlled trial. Pain. 2008.
- Weiner, D.K. et al. The relationship between pain, neuropsychological performance, and physical function in community-dwelling older adults with chronic low back pain. Pain med. 2006.
- Dardin, L.P.; Prato, S.C.F. Atuação da fisioterapia nas dores ósseas em idosos. Força Tarefa na Dor Óssea em Idosos. Grupo Editorial Moreira Jr. Editor: Fânia C. Santos. 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário