"É preciso que todos os homens permaneçam seres humanos durante todo o tempo em que estiverem vivos." Simone de Beauvoir

2 de mai de 2014

Quedas em Idosos: Você sabe quais são os principais fatores de risco?

As quedas são a principal causa de acidentes nos idosos, e ocorrem em sua maioria nas suas próprias residências. Como consequência, as quedas podem provocar inúmeros danos físicos como traumatismos, fraturas, declínio funcional, e em muitos casos a morte. Esses acidentes domésticos também podem comprometer significativamente a qualidade de vida, pois a maioria dos idosos após um episódio de queda tornam-se parcial ou totalmente dependentes para a realização de suas atividades de vida diária. Ou seja, ao mesmo tempo em que provocam danos físicos, também causam repercussões psicológicas e sociais na vida do idoso. Além disso, as quedas acarretam custos para a comunidade. Em 2012, foram 27.817 internações por quedas de pessoas com mais de 60 anos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
Diante disso, você saberia responder quais são os principais fatores de risco das quedas?
Esses fatores podem ser classificados em três categorias: intrínsecos, extrínsecos e comportamental.
Abordo aqui os fatores "intrínsecos" e mais recorrentes na literatura científica. São eles:
  •  Idade: Existe uma maior prevalência de quedas em idosos;
  • Sexo Feminino: Na população com faixa etária mais elevada, a proporção de mulheres que sofrem alguma queda é maior que os homens;
  • História prévia de quedas: Uma ou mais quedas sofridas anteriormente aumentam o risco de um novo acidente;
  • Medicamentos: A interação medicamentosa pode interferir na visão, percepção, equilíbrio, ou outros pontos, contribuindo para o aumento das quedas;
  • Problemas na marcha e no equilíbrio: Pode ser consequência do próprio envelhecimento ou de algum outro fator que comprometa a marcha;
  • Condições Clínicas: Algumas doenças como hipertensão, diabetes, doenças neurológicas, podem afetar a força muscular, o equilíbrio e a marcha, precipitando uma queda;
  • Sedentarismo: Pode causar disfunções músculo-esqueléticas;
  • Estado psicológico: o medo de cair novamente interfere no desempenho das atividades físicas e sociais na vida do idoso;
  • Deficiência Nutricional: Está relacionada à distúrbios de marcha, osteoporose e perda de força muscular;
  • Doenças ortopédicas: alguns comprometimentos ortopédicos podem causar desequilíbrio;
  • Declínio cognitivo: independente do grau de déficit cognitivo, por menor que seja, é sempre um fator de risco para quedas;
  • Estado funcional: quanto mais dependente for o idoso, maior o risco de acidentes.  
*Mais detalhes nas próximas postagens! :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário