"É preciso que todos os homens permaneçam seres humanos durante todo o tempo em que estiverem vivos." Simone de Beauvoir

13 de abr de 2014

Teorias do Envelhecimento

Você já se perguntou o que leva uma pessoa a envelhecer mais rápido que outra? Por que nos tornamos mais vulneráveis quando envelhecemos mesmo levando uma uma vida saudável na fase adulta?
São muitas as perguntas levantadas pela comunidade científica dedicada ao assunto, e são várias as teorias que tentam explicar o mecanismo do envelhecimento celular.
Abordarei aqui alguns fatores que podem influenciar nesse processo. E pra quem quiser se aprofundar mais sobre essas teorias deixo logo abaixo alguns links que podem ajudá-los no assunto.

Fatores Genéticos
Segundo essa teoria, a duração máxima da vida é determinada pelo padrão genético. Porém, o processo de envelhecimento se dá por vários motivos associados e não por apenas um que, por exemplo, poderia ser genético.
Com certeza você já ouviu relatos de que as mulheres têm uma maior expectativa de vida em relação aos homens. Pesquisas sugerem a possibilidade desse fato ser consequência da proteção de hormônios, principalmente do estrógeno, no aparecimento da aterosclerose. Também levantam a hipótese de uma tendência maior dos homens em adotar atitudes de risco à saúde.
A literatura também relata a influência genética no processo de envelhecimento, por exemplo, algumas síndromes que se caracterizam por apresentar envelhecimento precoce. Assim, temos a Síndrome de Hutchinson-Gilford, que se caracteriza por crescimento aparentemente normal da criança seguido de problemas como atrofia de pele, catarata, hipertensão arterial, entre outros. 
Outra doença característica é a Síndrome de Werner, na qual a criança sofre calvície, alterações cutâneas e vasculares, osteoporose, diabetes, etc.
Radicais Livres
Os radicais livres correspondem  a espécies reativas de oxigênio. A presença desses radicais determinam danos oxidativos que contribuem para o envelhecimento celular e o desencadeamento de determinadas doenças. A sua ação acontece por toda a vida, causando deterioração de componentes nucleares e citoplasmáticos, levando a célula a ter perda progressiva  de sua função. 
As proteínas são reconhecidas  como os principais alvos de modificações oxidativas e o acúmulo de proteínas oxidadas constitui uma das características da senescência celular. Outros fatores como alimentação, poluição, radiação ultravioleta, temperatura, tensão emocional, entre outros, também se encontram relacionados com os processos de envelhecimento. Porém, esses fatores provavelmente agem como fatores secundários, visto que são fatores extrínsecos e necessitam de maiores estudos para esclarecer qual a verdadeira contribuição deles na senescência.
Ligações Cruzadas
As ligações cruzadas são responsáveis pela estabilização do arranjo característico do colágeno, que é a proteína mais comum do mundo animal.
* Só pra relembrar os tipos de colágeno e onde o encontramos:
  • Colágeno tipo I: pele, ossos e tendões;
  • Colágeno tipo II: cartilagens;
  • Colágeno tipo III: vasos sanguíneos. 
Como sabemos, vários dos nossos tecidos necessitam de elasticidade para para exercerem sua fisiologia. E tanto a elasticidade quanto a capacidade de retração desses tecidos é realizada pelas fibras elásticas, constituídas por uma proteína denominada elastina. Esta, quando madura, também apresenta ligações cruzadas responsáveis pela regulação de sua elasticidade.
O envelhecimento proporciona aumento na síntese de colágeno e, assim, aumenta também a formação das ligações cruzadas que ocasionariam menor elasticidade aos tecidos, tornando-os rígidos e quase inextensíveis. O aumento do número de ligações cruzadas característico da senescência, dificultaria os processos de difusão celular e também alteraria a permeabilidade dos vasos sanguíneos, diminuindo a eficiência das trocas e nutrientes e metabólitos entre as células e os vasos sanguíneos e, consequentemente, causaria diminuição progressiva da função celular.
Sistema Imunológico
Com relação ao sistema imunológico, alguns pesquisadores tentam explicar o envelhecimento como uma deficiência no sistema de defesa do organismo, tornando-o incapaz de reconhecer seus próprios constituintes e criando anticorpos que os atacariam, determinando as denominadas doenças autoimunes, como a artrite reumatóide e a anemia perniciosa. As doenças por imunodeficiência também podem resultar da deficiência ou da ausência de um ou mais elementos do sistema imunológico, envolvendo anormalidades de elementos como fagócitos ou complementos que atuam na imunidade inespecífica. As imunodeficiências primárias são causadas por defeitos intrínsecos nas células do sistema imunológico, sendo em sua maioria determinadas geneticamente.
* Vale a pena relembrar a glândula fundamental para o nosso sistema imunológico, a glândula timo. 


Referência: REBELATO, J.R.; MORELLI, J.G.S. "Fisioterapia Geriátrica _ A Prática de Assistência ao Idosos". Editora Manole; 2ª edição.


Nenhum comentário:

Postar um comentário